Skip to main content

Conheça Dunga Rodrigues

Maria Benedita Deschamps Rodrigues, mais conhecida como Dunga Rodrigues é uma mulher de grande relevância na história mato-grossense, responsável principalmente pela valorização da cultura popular cuiabana e sua história, adquirindo tanta importância que lhe foi concedido uma cadeira na Academia Mato-grossense de Letras.

Talentosa pianista de formação clássica, Dunga já havia sido identificada aos 5 anos de idade, época em que aprendeu a tocar com uma professora francesa, Irmã Marie Vicent. Sua formação permitiu-lhe futuramente que lecionasse música e francês na Escola Estadual Liceu Cuiabano Maria de Arruda Muller. Apesar de ter crescido em Cuiabá na primeira metade do século XX, apresentava comportamentos pouco comuns para a época, pois fazia as coisas por conta própria e não tinha marido, nem filhos.

Quando criança, Dunga aprendeu sobre lendas mato-grossense através de um Frei e de uma mulher negra, que reuniam ela e outras crianças para conta-las. Essas lendas aprendidas possibilitaram que Maria Benedita escrevesse um livro que reproduz as histórias contadas. Assim como sua formação permitiu-lhe que escrevesse sobre história e música.

Lecionada pela professora Dalva, Dunga formou-se com outros 3 colegas na 1° turma de diplomados no Conservatório Musical de Mato Grosso. Em uma festa de sucesso onde foram governadores e pessoas importantes. Posteriormente especializou-se em música na UFMT, onde também deu aula. O reconhecimento do bom trabalho de Dunga a garantiu uma cadeira, como dito anteriormente, na Academia Mato-grossense de Letras, cadeira que tem como patrono Antônio Tolentino de Almeida tendo sucedido ao insigne professor Antônio Cesário de Figueiredo Neto. Participando também do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso.

Lecionou música em casa, no Centro Artístico e Musical de Cuiabá, no Conservatório Mato-grossense de Música, no Conservatório Musical de Mato Grosso e no Conservatório Musical Dunga Rodrigues.

Lecionou francês e fundamentos sociais de educação na Escola Normal Pedro Celestino, Liceu Cuiabano, Ginásio Brasil e escola Técnica Federal de Mato Grosso. Deu aulas, também, no SESC, SESI, Cubes Feminino e D. Bosco e para turmas da Policia Rodoviária.

Socialmente, Dunga era muito comunicativa, vista como espontânea, liberal, independente e amiga. Sua vida era ativa, esta, gostava muito de festas e de viajar em grupo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *